Trajetória de Eduardo Costa

De pedreiro a herói sertanejo universitário: Eduardo Costa por trás da popularidade…

Edson Vander da Costa Batista é o nome de batizado de Eduardo Costa, um dos cantores mais populares do universo sertanejo universitário.

Aos 37 anos, o mineiro de Abre Campo passou por várias dificuldades financeiras antes de ver o domínio do dinheiro e a popularidade, graças à trajetória que construiu ao longos de 15 anos.

Hoje seu show está entre R$ 150 mil e R$ 200 mil. No jeito ” cordial demais “, Eduardo coleciona 4,7 milhões de seguidores no Instagram e é verificado pela ostentação e pelas polêmicas.

Namorou famosas, brigou com amigos de palco e teve o nome misturado em recentes confusões.

Conheça melhor o homem por trás da popularidade: Imagem:

Ídolo valido Nem sequer Superman nem sequer Batman. O ídolo valido do sertanejo universitário é Wolverine, o mutante proprietário de uma energia mirabolante e de garras afiadas.

Ele é tão adorador que mandou exibir a essencial ” arma ” de seu herói.

Em seu quarto, há diversos bonecos do Logan e Costa confessou para Eliana o sonho de ver o artista Hugh Jackman. ” Nossa, cairia difícil de felicidade “, descreveu como seria emoção.

Don Juan de Minas

O mineirinho tem popularidade de conquistador e gosta de mulheres bonitas. Entre as beldades que já caíram em sua lábia estão Helen Ganzarolli, Simone Sampaio, Lola Melnick e Kamyla Simioni, pivô de uma discussão entre Tony Salles e Scheila Roble.

Em depoimento ao UOL, o sertanejo universitário confessou que era ninfomaníaco, porém que se tratou e ficou mais ” controlado ” nos últimos tempos.

Tem que suar muito, tem que malhar muito

Quem vê este peitoral sarado, não imagina que o cantor de “Os Dez Mandamentos do Amor ” foi um jovem magrinho e de barriguinha grande, que ele mesmo classifica como ” abdômen de cerveja “.

Em abril de 2016, ele assumiu uma lipoaspiração sete anos antes, que mudou totalmente seu físico. “Comecei a malhar. Tomei estilo mesmo, sou bastante ofegante e a academia me ajudou até a trabalhar com isto “, contou para o UOL. Ele que treina duas horas e meia por dia ao menos quatro vezes por semana.

Pedreiro, ajudante de pedreiro, boiadeiro

Eduardo desabafou sobre as críticas que recebia no Instagram em razão de fotos no melhor jeito ostentação. Ele se justificou: ” Eu sou um cavalo bravo pra trabalhar, e eu de modo algum na minha vida escolhi serviço, já fui pedreiro, braçal, ajudante de pedreiro, boiadeiro, floricultor e várias outras negócios, pra mim humilhação e roubar e não saber carregar. Tudo que tenho é fruta do meu trabalho “.

O cantor acompanha de perto todas as obras nas suas casas e, se for necessário, ele mete a mão na massa e similarmente refere-se a boiada.

Carros de luxo

Se tem indivíduo no show business que gosta de carros luxuosos, ele tem nome e sobrenome junto: Eduardo Costa.

O cantor é bastante fã e abre mesmo a carteira na hora de adquirir um novo “brinquedinho”. Todos importados, evidente! No programa “Domingo Show “, de Geraldo Luís, na Record, ele mostrou parte da sua quantidade que tem BMW, Jeep, Ferrari, Audi e Lamborghini.

” Constantemente que eu troco de automóvel, eu dirijo carros pequenos pra ele: ‘Se você for um Transformers, pode se contar pra mim’. Visto que, de modo algum se entende, né?”, brincou com o apresentador.

Colegas e rivais

Por salários maiores, 2 músicos da banda de Eduardo Costa saíram para se juntar com Gusttavo Lima. Não teve brigas nem sequer controvérsia, porém o primeiro ficou bem contrariado com o amigo de palcos. Passou.

Tanto que o proprietário do hit “Sapequinha” comprou a Ferrari amarela do homem da Andressa Suita. Discussão mesmo foi com Rick Solo.

“O nosso primeiro embate foi malparecido, discussão de mão, quase, [ em um jogo ]. Porém hoje é um partidista que eu tenho, eu sou advogado do casamento dele e da Geralda”, contou em depoimento ao ” Hoje em dia “, da Record.

Muita grana na agulha

O cantor é um dos que mais faz shows do universo sertanejo universitário. O UOL apurou com diversos produtores que o valor de uma apresentação varia de R$ 150 mil a R$ 200 mil, dependendo da município.

Em 15 anos de trajetória, ele acumulou um acervo que contém avião, aeronave, cavalos de classe, jet ski, lancha, propriedade em Goiás e duas casas em Minas Gerais. Nada mal quem passou fome na infância e chegou a frequentar de favor em bordel.

“Morei em um puteiro conhecido por Jacutinga em Juatuba, perto de Belo Horizonte “, contou em depoimento à Eliana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *