Como funciona um leilão de veículos

Posted by

Existem diversas maneiras de conseguir realizar o sonho do carro ou da moto própria por meio de um leilão de veículos.

Adquirir um veículo em um leilão de veículos é uma prática que vem se tornando cada vez mais comum por suas características facilitadoras.

Dentre as opções para os consumidores está o leilão de seguradoras. Trata-se da venda de veículos de pessoas que uma vez acionaram o seguro e foram indenizadas. Nessa modalidade, é muito comum encontrar tanto motos em situações mais adversas, como com grandes defeitos e faltando algumas peças, como aquelas com bem poucos reparos a se fazer. Logo, é importante avaliar os detalhes da moto que deseja comprar.

Por outro lado, o leilão feito por bancos e financeiras funciona quando alguém compra um veículo e não consegue continuar os pagamentos das parcelas, obrigando empresas credoras a retirarem o automóvel.

Ainda, existem as opções de leilão judicial, renovação de frota e até mesmo os promovidos pelo Detran.

Vantagens e desvantagens do leilão de motos

Uma das principais vantagens de adquirir um veículo por meio de leilão é o preço final dele. Por se tratar de uma modalidade de compra que está sujeita a diversos tipos de carros, em diferentes estados de conservação, existe margem para o comprador negociar o valor final do negócio.

No entanto, também é possível se deparar com algumas opções de compra não muito vantajosas, o que pode gerar uma dor de cabeça para o motorista no futuro.

Para garantir que o negócio de leilão de motos será vantajoso, não esqueça de checar com cautela a procedência do veículo, sua quilometragem, seu estado e seus documentos.

Veja Também Dicas importantes na hora de financiar a sua moto.

No momento em que alguém se decide por comprar uma moto, por meio de financiamento, muitas dúvidas e questionamentos surgem. É completamente normal o questionamento, pois com tanta opção é difícil tomar essa decisão.

O que eu preciso para conseguir um financiamento de moto? Essa é uma das principais dúvidas de quem escolheu por procurar esse serviço.

Se você quer ter sua motocicleta na garagem, mas não sabe o que é preciso para conseguir contratar o serviço, fique atento as nossas dicas para quem deseja financiar a sua moto:

Prepare-se financeiramente

Um banco ou financeira não irá aprovar um financiamento se notar que o cliente não possui condições para realizar o pagamento das parcelas na sequência. Por isso, tenha um planejamento financeiro pensando a longo prazo para que você seja aprovado na hora da análise.

Escolha a instituição financeira

São muitas as opções que irão aparecer quando você estiver procurando por uma instituição financeira para o financiamento. No entanto, fique atento aos valores cobrados nas taxas de juros e em todas as condições oferecidas por eles. Opte pelo banco que te oferecer a melhor proposta de crédito.

Guarde um dinheiro para entrada

Pagar uma quantia de entrada no momento do financiamento irá poupar diversas parcelas. Tenha em mente que quanto maior for o valor da entrada, menor será a quantidade de parcelas e os juros cobrados pelo banco.

Leve todos os documentos

Quando for o momento de assinar o contrato do financiamento, alguns documentos são exigidos por todos os bancos. São eles:

  • RG;
  • CPF;
  • comprovante de residência,
  • comprovante de renda.

Para comprovar sua renda, você pode utilizar algum holerite (contra-cheque), extrato bancário e até declaração de Imposto de Renda.

Tenha o nome limpo

Não adianta seguir todo o passo a passo anterior, se no final das contas o seu nome estiver no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou Serasa. Por isso, para que o banco faça a liberação do crédito, esteja com o nome limpo.

Posso comprar uma moto sem entrada?

Sim, é possível fazer o financiamento sem dar nada de entrada, porém vai depender das condições impostas pela instituição financeira escolhida. Normalmente os bancos financiam o valor total da moto quando ela é nova.

Além disso, como dissemos anteriormente, o valor de entrada serve para diminuir o número de parcelas do financiamento e, consequentemente, diminuir o valor pago em juros. Por isso é ideal ter um valor específico ao fechar o contrato.

Agora se você optou pelo financiamento de moto por uma urgência, é importante ter uma renda compatível com o valor das parcelas. Não utilize mais do que 30% do seu orçamento para os pagamentos mensais.

Vale alertar que, diferente do consórcio de automóveis, caso você fique impossibilitado de efetuar os pagamentos das parcelas e desista, o banco não faz o reembolso do valor pago no consórcio de motos. Ou seja, tenha sempre a certeza e planeje-se.

Veja mais conteúdo como este em nossa página M1 Notícias.